Envolva-se

  1. O que é o MOB? Confira aqui.
  2. Compartilhe suas experiências ou deixe aqui sua mensagem.
  3. Escola de Família, saiba +.

Fotos do Evento

veja todas →

O que é o MOB (Método da Ovulação Billings)?

No início da década de 50, pediu-se ao Dr. John Billings, de Melbourne, Austrália, que atuasse como conselheiro médico de casais que desejavam métodos naturais de planejamento familiar. Os únicos métodos naturais então disponíveis eram os métodos do Ritmo e o da Temperatura Basal do corpo. Comprovou-se que esses dois métodos eram inseguros e inevitavelmente limitativos quando os ciclos da mulher eram prolongados e irregulares.

O Dr. Billings recorreu à literatura médica, com a esperança de encontrar algum indício que conduzisse ao desenvolvimento de um método natural melhor e mais efetivo. Encontrou, assim, referências que remontavam ao ano de 1855, a respeito da secreção de um fluxo mucoso produzido pela cérvix do útero, próximo ao tempo da ovulação. Contou, também, com a ajuda de um especialista conselheiro matrimonial, o Pe. Maurice Catarinich.

As propriedades físicas e químicas dessa secreção foram extensivamente estudadas, porém havia poucas referências de que essa secreção fosse uma observação familiar própria de mulheres fecundas e com boa saúde. Reconheceu a possível importância do fluxo mucoso como um indicador da ovulação e se perguntou se essa secreção não poderia ser usada pelas mulheres como um sinal de fertilidade.

Começou então a perguntar a uma quantidade de mulheres a respeito de suas observações sobre essa secreção. Todas confirmaram ter observado uma secreção de fluxo mucoso durante o ciclo menstrual, porém não haviam compreendido a sua importância. Este era o indício que ele estava procurando: a familiaridade de mulheres férteis e sadias com secreção de fluxo mucuso. A questão passou a ser , então, determinar se existia alguma característica típica do fluxo mucoso durante o ciclo e se as mulheres podiam identificar sua fase fértil.

Com a cooperação de centenas de mulheres, logo surgiu um padrão característico e regular do fluxo mucoso. Fez-se evidente que a sensação produzida pelo fluxo mucoso, e tanto quanto o seu aparecimento, poderia permitir às mulheres reconhecerem o começo da fertilidade.

Em 1962, o Dr. Billings pediu ao Dr. James Brown, um endocrinologista da Universidade de Melbourne, para realizar investigações correlacionando a exatidão das observações das mulheres com respeito ao padrão característico do fluxo mucoso cervical, com as características típicas hormonais ováricas próprias da ovulação. O Dr. Brown concordou e iniciou um programa completo de investigação clínica e de laboratório. Analisaram-se centenas de ciclos de mulheres em todas as categorias reprodutivas. Até o ano de 1964, os investigadores estavam convencidos de que as observações das mulheres quanto às características típicas do fluxo mucoso cervical identificavam sua fertilidade com tanta exatidão quanto os sofisticados exames de laboratório. Os dados da investigação realizada por Brown e vários de seus colegas proporcionaram verificação científica ao novo método, chamado agora Método da Ovulação Billings.

Em 1964, a Drª. Evelyn Billings colaborou na investigação de seu esposo. Começou a preparar instrutores e ajudou a aperfeiçoar e simplificar o método.

Nos anos 70, o professor Erik Odeblad, do Departamento de Biofísica Médica da Universidade de Umea, na Suécia estudou as propriedades Biofísicas de várias secreções cervicais e começou a definir diferentes tipos de muco, cada um com funções próprias. Constatou-se que a sobrevivência e o transporte dos espermatozóides dentro do sistema reprodutivo da mulher, são fortemente dependentes da presença de um padrão de muco sadio.

 

Próxima Página >